Afluente e efluente: Quais as diferenças?

Publicado em: 04/10/2022

Afluente e efluente: Quais as diferenças?

Apesar de ter a mesma intonação afluente e efluente são coisas distintas

Quando o assunto é afluente e efluente, muitas pessoas pensam que é a mesma coisa, no entanto há diversas diferenças entre ambos.

Dessa forma, os dois termos estão relacionados ao saneamento e tratamento da água.

Um afluente quando é descartado na natureza de forma inadequada pode contaminar os afluentes e exigir esforços consideravelmente maiores nos seus tratamentos. Isso implicará em perdas ambientais, econômicas e sanitárias. Além disso, o tratamento do efluente pode ser considerado como um fator chave para o desenvolvimento de uma sociedade sustentável e ambientalmente correta. No entanto, é importante saber quais são as destinações corretas de cada tipo.

Para início de conversa, é importante destacar o que é cada um deste termos e de que maneira devem ser tratados e destinados.

O que é efluente?

Os efluentes, ou também água residual, como é conhecido, é qualquer tipo de água usada que é afetada por processos domésticos, comerciais ou industriais. Assim, a água que sai de uma residência, escola ou de um prédio de escritórios é um esgoto. Da mesma forma, também podemos encontrar em águas produzidas durante os processos industriais, tais como: fabricação de papel, roupas ou fabricação de produtos químicos.

A composição da maioria dos efluentes, com exceção dos industriais é de cerca de 99,9% de água. O 0,1% que resta consiste em contaminantes, como é o caso de matéria orgânica, inorgânica e microrganismos que precisam ser removidos.

Mesmo que representem muito pouco, a natureza dessas impurezas, somadas aos grandes volumes de esgoto que são transportadas, fazem das águas residuais domésticas um problema significativo. Dito isso, os poluentes são os materiais orgânicos putrescíveis e nutrientes para as plantas. No entanto, é bastante comum que o esgoto doméstico tenha micróbios que resultam em doenças graves.

Além disso, os efluentes industriais geralmente contam com compostos químicos específicos e que são fáceis de identificar. Isso dependerá da natureza de como ele foi produzido. Dessa forma, estes compostos podem ser os produtos finais, processo inicial ou intermediários, podendo ser também subprodutos ou impurezas.

Uma das características que destaca os efluentes de origem industrial em relação as águas residuais em municípios, é que na maioria das vezes elas podem estar misturadas a outras substâncias diferentes e muito tóxicas.

Afluente

Afluente

O que é um afluente?

A palavra afluente é originária do latim “affluens”, que significa um curso d’água, cuja vazão auxilia no aumento de outro corpo d’água. Dito isso, este corpo também pode ser chamado de corpo receptor, e constitui como o estudo que define a capacidade que cada corpo d’água tem de depurar os resíduos de matéria orgânica e outros compostos que encontram-se nos esgotos, assim como outros líquidos tratados.

Resumindo, o afluente pode ser considerado como um ciclo natural de água que desemboca em rios, mares, oceanos ou outros ambientes aquáticos. São eles que nutrem o rio principal.

Além disso, essas águas podem vir de rios, córregos, ribeirões e riachos e também passam por um tipo de tratamento para eliminar impurezas e resíduos que podem ser encontrados devido ao contato com a natureza, como é o caso das folhas, galhos de árvores e peixes, por exemplos.

O curso d’água que é afluente de outro afluente pode ser considerado um subafluente.

Quais as diferenças entre afluente e efluente?

Explicando de forma simples, os afluentes são rios, córregos e cursos d’água menores que desaguam em um rio maior. Dessa forma, contribuem para o fluxo e volume do mesmo.

Por outro lado, os efluentes são os resíduos gerados pela ação do homem e que podem ser prejudiciais para o meio ambiente e também a para a saúde pública. Os esgotos domésticos e os dejetos são alguns exemplos de afluentes. Isso porque, eles podem ter alguns elementos químicos, metais pesados e microrganismos, que podem acabar com ecossistemas e intoxicar seres vivos.

Como se relacionam o tratamento entre afluente e efluente?

Em primeiro lugar, é importante frisar que os dois necessitam de tratamentos adequados. Isso porque, um afluente quando é descartado de forma incorreta na natureza pode contaminar os afluentes e exigir um esforço maior para tratar, podendo assim resultar em algumas perdas fundamentais, que foram citadas anteriormente neste artigo (Ambientais, sanitárias e econômicas).

Tratar o efluente é essencial para que a sociedade evolua de forma ambiental. No entanto, é de suma importância compreender como realizar a destinação de cada um dos elementos de forma correta.

Como tratar efluentes industriais?

Como tratar efluentes industriais?

Como tratar efluentes industriais?

A enorme quantidade de resíduos gerados por indústrias, é um dos, se não o principal responsável pelos maiores impactos ambientais. Assim, podemos dar destaque aos que derivam de mineração e também da indústria alimentícia entre alguns dos resíduos mais nocivos, e é de fundamental importância realizar o tratamento dos mesmos.

Como a sustentabilidade é cada vez mais importante dentro das empresas e da sociedade, é fundamental que as empresas adotem boas práticas e dê a destinação final correta para os resíduos.

Viu como é importante tratar de forma correta o afluente e o efluente?

Que tal uma empresa especializada que faça isso por você? Nós, da Valoriza Ambiental fazemos o tratamento de resíduos sólidos e efluentes contaminados com:

  • Óleos
  • Graxas
  • Tintas
  • Solventes

Não perca tempo e entre em contato conosco através do WhatsApp (19) 99580-4094.